Portos do Paraná envolve-se novamente na campanha Cesta Solidária no Litoral

Por Assessoria 03/05/2021 - 10:21 hs
Foto: Divulgação

A Portos do Paraná envolveu-se novamente nesta sexta-feira (30) na campanha Cesta Solidária no Litoral, distribuindo cestas básicas às comunidades e locais mais isolados do Paraná. Para agilizar, foi utilizado um helicóptero que levou as cestas até as comunidades de Serra Negra e Praia Deserta, em Guaraqueçaba; na Barra do Ararapira, no Superagui; e em mais uma comunidade Quilombola.

Segundo o diretor de Desenvolvimento Empresarial da Portos do Paraná, André Pioli, essa é uma campanha de solidariedade do Governo do Estado, coordenada pela primeira-dama Luciana Saito Massa, empenhada pessoalmente na luta contra a fome, atendendo uma determinação do governador Calos Massa Ratinho Junior de acabar com a fome das pessoas que estão isoladas e passando por uma extrema necessidade em um momento tão difícil como esse.

“Para nós, é uma mistura de emoção e tristeza. Emoção por atender as pessoas que estão necessitadas e de tristeza por ver que essas pessoas não estão podendo lutar para levar para dentro de casa o pão de cada dia. A epidemia causou um dano muito grande em toda sociedade, esse é o momento que o governo tem que atuar”, afirma Pioli.

O tenente-coronel Júlio César Pusch dos Santos, comandante do Batalhão de Operações Aéreas da Polícia Militar, conta que é a primeira vez que que a corporação se envolve nessa ação humanitária para atingir as áreas mais remotas do Estado. “São locais onde se demora de três a quatro horas de barco, de helicóptero chegamos em 20 minutos”.

“A receptividade é imensa, não acreditam que lembramos deles, que não precisam navegar três horas de barco para ir buscar alimentos e três para voltar, fora que as condições meteorológicas têm de estar favoráveis para isso”, explica Santos.

Para Fernando Raimundo Shuning, coordenador estadual da Defesa Civil, o sentimento é de que o Estado está atingindo todas as pessoas, sejam elas no lugar que for, ninguém fica para trás. “Imagine uma pessoa humilde que mora nessa comunidade carente, vulnerável, ainda mais agora com a questão da Covid-19, com todos os riscos, ela sentindo essa sensação de que o Estado está preocupado com ela. Isso não tem preço”.

COOPERAÇÃO - Essa última ação, que contou com a utilização de helicóptero, foi realizada através da união do batalhão aéreo da Polícia Militar, da Defesa Civil e dos Portos do Paraná. Cada um entrou com um pouco, os portos e Defesa Civil com as cestas básicas, os contatos com essas áreas remotas e identificação dos líderes comunitários e a Polícia Militar com o helicóptero.