Aveiro atinge marca homóloga com 921mil toneladas até fevereiro

Por Assessoria 03/05/2021 - 10:45 hs
Foto: Divulgação

Os portos do Continente perderam terreno (-4,2%) em 2021 no que toca à movimentação de mercadorias face ao período Janeiro-Fevereiro de 2020, movimentando 13,6 milhões de toneladas no seu conjunto. A tendência negativa foi contrariada pelos portos de Sines e Aveiro – este último, anunciou a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), atingiu mesmo a marca «mais elevada de sempre» neste período temporal.

Porto de Aveiro fixa novo registo máximo

«Num cenário genericamente negativo, surge ainda espaço para destacar o registo da marca mais elevada de sempre nos períodos homólogos observada em Aveiro, atingindo globalmente um total de 921,13 mil toneladas, +9,8% do que no período homólogo de 2020, contribuindo para o desempenho positivo dos ‘Outros Granéis Líquidos’ ao nível do Ecossistema Portuário do Continente, onde foi observado um volume de 479,75 mil toneladas (+8,9%), o mais elevado de sempre», explicitou a AMT no relatório que analisa a movimentação de cargas nos portos até Fevereiro.

Porto de Sines com subida homóloga de +10,7%

Mas não só Aveiro logrou fugir à tendência geral verificada nos portos do Continente: também o líder da movimentação nacional, o Porto de Sines, soube escapar, alcançando uma variação homóloga positiva, de +10,7%, determinada pelo comportamento dos mercados de Carga Contentorizada e de Produtos Petrolíferos. «O movimento de carga processado nos restantes portos não atinge o volume realizado no período Janeiro-Fevereiro de 2020, sendo a variação negativa mais expressiva a de Leixões, com uma quebra de -910,7 mt (-27,6%), seguido de Lisboa e de Setúbal, com diminuições de -235,3 mt (-14,1%) e de -206,7 mt (-21,2%), e Figueira da Foz, com -67,5 mt (-21%)», detalhou ainda a AMT no seu relatório.