DNIT libera parcialmente dois viadutos na BR-230/PB, em Cabedelo

Serviços são realizados em parceria com o Exército Brasileiro e devem ser concluídos em 2022

Por Assessoria 03/05/2021 - 10:50 hs
Foto: Divulgação

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) segue com as obras de adequação de capacidade e de segurança da BR-230/PB, no trecho do km 2 ao km 10, entre Cabedelo e João Pessoa, na Paraíba. Para dar mais fluidez ao tráfego de veículos que passam pela região, a Autarquia libera parcialmente, nesta sexta-feira (30), dois viadutos localizados em Cabedelo. Os empreendimentos ficam no km 8,4 e km 9,5. Ambos possuem largura total de 25 metros e vão livre com 35 metros de comprimento. O primeiro viaduto tem 591 metros de extensão e o segundo, 712. Com três faixas de rolamento nos sentidos crescente e decrescente - duas estão sendo liberadas agora -, as obras permitirão o aumento da quantidade de veículos que utilizam a rodovia. Já em 2021, esse volume diário pode chegar a aproximadamente 43 mil carros. A adequação de capacidade e segurança da BR-230/PB é viabilizada por meio de Termo de Execução Descentralizada (TED) com o Exército Brasileiro. A execução dos serviços está a cargo do 1º Batalhão de Engenharia de Construção (1º BEC). Já a supervisão e a gestão militar são do Comando do 1° Grupamento de Engenharia. A fiscalização técnica dos trabalhos e a gestão conjunta do TED é de responsabilidade do DNIT. Importância - O empreendimento, que contou com reforço de aporte financeiro alocado por meio de emenda parlamentar proposta pela bancada do Estado da Paraíba, tem por objetivo o aumento da capacidade de tráfego e escoamento da produção da região portuária, proporcionando também o fortalecimento do comércio local. Além dos benefícios de mobilidade, a conclusão da obra, prevista para 2022, trará conforto e segurança para condutores e pedestres. Os serviços incluem a implantação de seis novas passarelas, três faixas de rolamento de cada lado nas pistas principais (incluindo pavimentação nova), vias marginais esquerda e direita (integradas à rodovia por meio de acessos convenientemente localizados) e retornos construídos sob os quatro viadutos em operação. Coordenação-Geral de Comunicação Social - DNIT

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) segue com as obras de adequação de capacidade e de segurança da BR-230/PB, no trecho do km 2 ao km 10, entre Cabedelo e João Pessoa, na Paraíba. Para dar mais fluidez ao tráfego de veículos que passam pela região, a Autarquia libera parcialmente, nesta sexta-feira (30), dois viadutos localizados em Cabedelo.


Os empreendimentos ficam no km 8,4 e km 9,5. Ambos possuem largura total de 25 metros e vão livre com 35 metros de comprimento. O primeiro viaduto tem 591 metros de extensão e o segundo, 712.


Com três faixas de rolamento nos sentidos crescente e decrescente - duas estão sendo liberadas agora -, as obras permitirão o aumento da quantidade de veículos que utilizam a rodovia. Já em 2021, esse volume diário pode chegar a aproximadamente 43 mil carros.


A adequação de capacidade e segurança da BR-230/PB é viabilizada por meio de Termo de Execução Descentralizada (TED) com o Exército Brasileiro. A execução dos serviços está a cargo do 1º Batalhão de Engenharia de Construção (1º BEC). Já a supervisão e a gestão militar são do Comando do 1° Grupamento de Engenharia. A fiscalização técnica dos trabalhos e a gestão conjunta do TED é de responsabilidade do DNIT.


Importância - O empreendimento, que contou com reforço de aporte financeiro alocado por meio de emenda parlamentar proposta pela bancada do Estado da Paraíba, tem por objetivo o aumento da capacidade de tráfego e escoamento da produção da região portuária, proporcionando também o fortalecimento do comércio local.


Além dos benefícios de mobilidade, a conclusão da obra, prevista para 2022, trará conforto e segurança para condutores e pedestres. Os serviços incluem a implantação de seis novas passarelas, três faixas de rolamento de cada lado nas pistas principais (incluindo pavimentação nova), vias marginais esquerda e direita (integradas à rodovia por meio de acessos convenientemente localizados) e retornos construídos sob os quatro viadutos em operação.