Startups brasileiras marcam presença no maior evento de Biotecnologia do mundo

Pandemia em foco: acontece amanhã, dia 8, o maior evento de Biotecnologia do mundo

Por Assessoria 08/06/2021 - 10:18 hs
Foto: Divulgação

Confira a programação brasileira no maior evento de biotecnologia do mundo e no VI Summit Brasil, que abordará, amanhã, 8 de junho, das 14h às 17h40, os impactos da COVID-19 nos investimentos em pesquisa e desenvolvimento de medicamentos e vacinas, além dos impactos da dependência brasileira de insumos externos no tratamento da população

Pesquisas e inovações tecnológicas relativas à pandemia do coronavírus devem prevalecer entre as principais discussões e reuniões nos fóruns da BIO Digital, maior evento de biotecnologia do mundo e versão da BIO International Convention, que passou a ser on-line em 2020 por causa da COVID-19. O evento começa no dia 10 de junho e vai até o dia 18.

O foco na pandemia, assim como foi em 2020, não é à toa. Afinal, a biotecnologia tem sido a principal ferramenta utilizada no enfrentamento do vírus e da COVID-19 nas diferentes frentes de combate: desde o sequenciamento genético do vírus Sars-COV-2 até o desenvolvimento de testes, terapias e, principalmente, vacinas.

 “A BIO é a principal vitrine do mercado de saúde para pesquisadores, empresas, startups e para governos que investem em ciências”, explica Norberto Prestes, Presidente Executivo da ABIQUIFI (Associação Brasileira da Indústria de Insumos Farmacêuticos).

No ano passado, a BIO registrou mais de 7.200 participantes, entre pesquisadores, estudantes, representantes governamentais e de centros de pesquisas, além de empresários e executivos de mais de 4.000 empresas. Foram mais de 26.800 reuniões de negócios, para citar apenas alguns dos grandes números do evento.  

Agenda brasileira

O Brasil marca presença na BIO por meio do BP&H (Brazilian Pharma & Health), parceria da ABIQUIFI com a Apex-Brasil de estimulo à internacionalização, atração de investimento e aumento das exportações das empresas do setor. “Já levamos mais de 150 empresas de todos os portes para expor suas inovações na BIO, desde 2015, quando iniciamos nossa participação na convenção com o Pavilhão Brasileiro”, observa Prestes. Nesta edição, são 20 empresas nacionais.

A participação brasileira terá dois momentos principais: o Summit Brasil, evento virtual que vem antecedendo a BIO há seis anos; e a apresentação, na BIO, das inovações tecnológicas do TOP 5 StartupsPHP BiotechBioptamers, RT Medical Systems, GnTech GlucoGear.

As startups, mapeadas pelo BP&H em parceria com a Biominas entre 84 inscritas, apresentarão suas inovações no dia 11 de junho, às 12h00. Para acompanhá-las, basta acessar o site da BIO Digital/Innovation Stage com o código INBP.

Dependência brasileira de IFA: foco do VI Summit Brasil

VI Summit Brasil será realizado também virtualmente amanhã, 8 de junho, das 14h às 17h40. Participam pesquisadores, representantes de indústrias, órgãos governamentais e associações, debatendo temas como a utilização de biomedicamentos no enfrentamento da pandemia do coronavírus; os impactos da COVID-19 nos investimentos públicos e privados em pesquisa e desenvolvimento; e a dependência de insumos externos do país, que impacta diretamente o tratamento da população brasileira.

Norberto Prestes explica que o Brasil, hoje, produz apenas 5% dos insumos necessários para a fabricação de medicamentos e vacinas. “Dos 95% importados, cerca de 70% são oriundos da China e da Índia”, enfatiza. O Brasil chegou a produzir em torno de 50% das suas necessidades, entre as décadas de 1970 e 1980, mas a indústria sofreu um desmonte a partir da política de abertura econômica iniciada nos anos 1990.

“Para produzir internamente 20% das necessidades brasileiras de insumos farmacêuticos ativos (IFAs), o país precisaria investir entre US$ 500 milhões e US$ 1 bilhão, nos próximos 10 anos”, diz Prestes.

Seis startups mapeadas pelo BP&H, Apex-Brasil e Biominas também vão apresentar as suas inovações no VI Summit Brasil: Celluris, epHealth, InsilicAll, NAIAD, Nanoceuticals e Robô Laura.

Para acompanhar gratuitamente o evento, basta se inscrever no site: https://eventosdigitais.live/evento/visummitbrasil.

 

Programação – VI Summit Brasil

 

14h | Boas Vindas

 

Norberto Prestes, Presidente Executivo da ABIQUIFI

Augusto Pestana, Presidente da Apex-Brasil

Embaixador Sarquis José Buainain Sarquis, Secretário de Comércio Exterior e Assuntos Econômicos do Ministério das Relações Exteriores

 

14h20 | Painel 1 - Biomedicamentos no Enfrentamento da Pandemia e suas Consequências: Vacinas e Tratamentos

 

  • Gustavo Mendes, Gerente-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da ANVISA
  • Marco Krieger, Vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz
  • Cristiano Gonçalves Pereira, Gerente de Inovação do Instituto Butantan

 

  • Moderador: Cristian Madoery, Diretor LATAM de Life Sciences da Clarivate

 

15h20 | Pitches Startups Mapeamento Hidden Champions

  • Celluris
  • epHealth
  • InsilicAll

 

 

15h30 | Painel 2: Os Impactos da COVID-19 nos Investimentos Público e Privado em Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil

 

  • Marcelo Morales, Secretário de Pesquisa e Formação Científica do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI)
  • Helena Faccioli, CEO da Farmacore
  • Eduardo Rocha, CEO da Natcofarma, Membro do conselho Synova/Sorrento
  • Paulo Fernandes, Presidente da Diretoria Executiva da ABRACRO

 

  • Moderador: Norberto Prestes, Presidente Executivo da ABIQUIFI

 

16h30 | Pitches Startups Mapeamento Hidden Champions

  • NAIAD
  • Nanoceuticals
  • Robô Laura

 

 

16h40| Painel 3: A Dependência Externa de Insumos, Medicamentos e Equipamentos: Qual o Impacto desta dependência no tratamento da população Brasileira?

 

  • Thiago de Mello Moraes, Coordenador-Geral de Ciências da Saúde, Biotecnológicas e Agrárias do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI)
  • Ogari Pacheco – Cofundador do Laboratório Cristália
  • Marcelo Hahn – CEO da Blau Farmacêutica S.A.

 

  • Moderadora: Mirna Poliana, Assessora parlamentar da Liderança do Governo no Congresso

 

17h40 | Encerramento