MInfra atua para alinhar investimento em infraestrutura com sustentabilidade

Em encontro com investidores estrangeiros, ministro da Infraestrutura destacou acordos com entidades mundiais relacionadas ao meio ambiente

Por Assessoria 08/06/2021 - 10:28 hs
Foto: Divulgação

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou nesta segunda-feira (7) que o Ministério da Infraestrutura trabalha para incorporar a sustentabilidade em toda a estruturação dos projetos de concessões de transportes. Em reunião com investidores internacionais, ele destacou as iniciativas do MInfra para aliar os dois temas. 

“É possível prover a infraestrutura e conjugar com a sustentabilidade. O Brasil é referência mundial nessa posição e não vamos deixar isso de lado”, ressaltou. Participaram da reunião investidores internacionais, focados na preservação do meio ambiente, batizados de Diálogo de Política de Investidores sobre Desmatamento (IPDD na sigla em inglês).

Nos últimos dois anos, o MInfra firmou acordos com entidades respeitadas ao redor do mundo, como a agência GZI, da Alemanha, e a Climate Bonds Initiative (CBI) para trazer a visão sobre a mudança climática para dentro dos nossos projetos.

“O nosso programa ferroviário terá a certificação do ‘Selo Verde, através da CBI, se consagrando como o primeiro programa de infraestrutura a g’arantir essa posição. Essa iniciativa é de grande relevância para possibilitar o licenciamento ambiental e mitigar os riscos de imagem, garantindo, assim, acesso a outro bolso dos Greens Bonds”, afirmou Freitas.

FERROGRÃO – O projeto nascerá com o “Selo Verde” por conta da sua preocupação ambiental. A expectativa é que a ferrovia reduza em 50% a emissão dos gases do efeito estufa e retire 1 milhão de toneladas de CO2 da atmosfera, além de usar a faixa de domínio da BR-163 como traçado, sem sobrepor terras indígenas, quilombolas ou unidades de conservação.

“A Ferrogrão vai funcionar como uma grande barreira verde. Estamos utilizando apenas 0,05% do parque para garantir toda a sustentabilidade que ela trará. Queremos preservar a harmonia entre a infraestrutura e o atendimento das necessidades dessas comunidades”, afirmou, acrescentando que o desenvolvimento da infraestrutura auxilia no combate ao desmatamento ilegal.